9.5.08

História de Brisingr - Parte 4

Quando acordou Jasmine estava em um lugar mal iluminado e úmido.Um garoto a olhava com um ar preocupado ao seu lado.
- Você está bem? - ele perguntou.
Era um garoto moreno, alto com os olhos mais verdes que Jasmine já tinha visto. Não sabia quem ele era, mas algo dentro dela queria confiar nele, como se já tivessem se encontrado antes.
- Estou sim... - ela respondeu - Que lugar é esse?
- É o calabouço do castelo de Shurigan.
- Quem? - ela perguntou confusa.
- Shurigan, o rei de Brisingr! Todos os conhecem!
Isso não tinha ajudado. Jasmine encarava o garoto com uma cara confusa. Ele vendo a confusão dela perguntou.
- Você é de onde?
- Um lugar bem longe daqui, te garanto! - ela ainda estava confusa - Certo... Preciso pensar em um jeito de sair aqui...
- Não tem. Eu já tentei. Nossa! Você levou uma pancada feia.
- É doeu bastante! - disse ela esfregando a testa ainda dolorida - Aliás, qual é seu nome?
- Deiron. Você... ?
- Jasmine. Agora me diz: o que é Brisingr quem é esse tal de Sharigan?
- Shurigan? É o rei de Brisingr, mas não o rei de verdade. Os verdadeiros reis e seu herdeiro estão desaparecidos, provavelmente mortos. Shurigan tomou o palácio deles, e eles desapareceram. Brisingr é esse reino, tudo isso aqui, inclusive onde você está agora, o calabouço real -disse ele com desdém
- Quer dizer que tem um rei? Que matou outro rei e continua no trono. E estamos presos em seu castelo? - perguntou Jasmine.
Ela estava atordoada.
- Você aprende rápido - disse Deiron com um sorriso - Ninguém o enfrenta. Ele tem criaturas más em seu comando. Dizem que ele próprio não é humano. Eu não acredito. Ele tem que ter uma fraqueza. E é o que  estou procurando há algum tempo. Sabe como é, para o bem de todos.
- Nossa! Isso é realmente... - ela estava sem palavras. Sentiu uma profunda  e repentina admiração pelo o garoto.
- Ah, bem... - ele estava envergonhado - Mudando de assunto, como você veio parar aqui?
- Não sei... Quando cheguei a minha casa havia um homem horrível, ele era grande e me pegou de surpresa... - ela disse tremendo ao lembrar do vulto.
- Seu nome é Vlad - disse Deiron meio aborrecido - O braço direito do rei. É um espectro.
- Aconteceu uma coisa estranha quando ele me atacou... Meu colar brilhou e ele não conseguiu me pegar.
Jasmine tinha medo do que aquilo poderia significar. Agora ela lembrava das palavras da Cartomante sobre seu futuro. 
- Esse símbolo no seu colar é a marca das fadas! - ele olhou surpreso para o colar - E o protegeu na hora que você mais precisava.
- Fadas? -  'Era só o que faltava' pensou jasmine se irritando. Aquilo era uma loucura!
- Sim, elas já viveram aqui há muitos anos. Onde conseguiu isso?
O garoto estava surpreso mesmo.
- Era da minha mãe. Já chega ta? Acabou! - ela estava realmente irritada, e agora não era o momento para falar sobre a mãe dela. Andou pela grande cela em que estava para procurar um possível modo de escapar.
- Eu já disse que não há saída. Estou aqui já tem mais tempo do que você imagina, e acredite, eu eu pudesse, já teria saído  - Deiron retrucou, ficando sério de repente.
Ela estava exausta. Sentou se em um canto e tentou esfriar a cabeça.

4 comentários:

  1. léia silva9.5.08

    nossaaaaaaaaa isabela , parabéns pelo blog , tá maravilhoso
    vc tem um talento nato..........
    continua escrevendo , vou adorar acomopanhar suas postagens!!!!!
    bjs!

    ResponderExcluir
  2. história bem legal, pelo jeito você gosta de escrever também UASHAUHSIAUHSA
    Muiioto interessante ah história

    ResponderExcluir
  3. Léia

    ahhh brigadãoooooo!
    :D

    Anna Carolina

    valeuu! :)

    Mary

    gosto sim....
    valeuuu pelo coment :D

    ResponderExcluir