6.6.08

História de Brisingr - Parte 10


No castelo de Shurigan, o próprio ‘Rei’ Eliot Shurigan conversava com a futura rainha, Lia Shurigan.
Ele era um rapaz alto, imponente, que parecia estar pronto para lutar a qualquer momento, aparentava ter mais do que a idade de Lia, ou Jasmine, porém, tinha um ar tão autoritário que impedia qualquer possibilidade de desobediência.
Os dois conversavam ansiosos quando um criado anunciou a chegada de Vlad
- Ótimo, mande-o entrar. – disse o rei.
Dentro de alguns segundos o espectro entrava.
- Majestades, a minha missão foi cumprida – Disse ele estendendo o colar que havia roubado. Lia se adiantou para pega–lo.
- Ótimo – disse ela – Você tem sido muito competente.
Com uma mesura, ele saiu.
Lia olhava fascinada para o colar
-Nós vamos conseguir Eliot, nós vamos acabar com ela.

* * *
Não! – gritou Jasmine – Não! Não é possível... Onde está...?
Dizia ela em tom de ansiedade
- Que foi Jasmine? – perguntou Deiron, sonolento, que havia acordado com a gritaria.
- Meu colar sumiu.
- Sumiu? Como?
- Não sei. Se eu soubesse, não estaria aqui procurando.
- Nossa! Chupou limão, foi?
- Ah... Desculpa – disse ela com um suspiro. – Eu to meio... Aliás, que expressão foi essa?
- Expressão nenhuma... Vem eu te ajudo a procurar - respondeu ele aborrecido.
Procuraram por muito tempo, e como não acharam nada, a única saída era continuar andando.
- O que você acha que aconteceu com seu colar? – perguntou Deiron
- Nada de ruim, espero... – disse Jasmine
Ela temia o que poderia acontecer se ele caísse em mão erradas e queria recuperá-lo, pois era a única lembrança de sua mãe.
A manhã passou sem eles conversarem muito, cada um absorto em seus pensamentos.
Quando o sol já estava alto, houve uma mudança de cenário. O lugar, sem muitas árvores e quente com apenas um pequeno riacho do qual eles pegaram água, foi pouco a pouco se transformando em um bosque fresco e cheio de árvores tão grandes que não era possível saber até onde iam.
Agora estavam descansando um pouco, mas Jasmine percebeu que Deiron estava muito nervoso.
- Por que você está assim?
Ela perguntou
- Assim como?
Ele tentava disfarçar
- Ah, deixa pra lá. – disse
Ele deu de ombros
- Está vendo aquela clareira? – ele perguntou, mostrando ao longe um espaço aberto entre as árvores.
- Estou, é pra lá que nós vamos?
- É. Não falta muito agora.
Recomeçaram a andar, mas não demorou muito até que uma estranha criatura se agigantasse á frente deles.

8 comentários:

  1. Gracii6.6.08

    Sou da República....

    estou adorando a história....

    =D

    beeijos

    ResponderExcluir
  2. Luuh6.6.08

    Oiie.

    Sou da republica capricho e tb to adorando a história...
    Vc eh bem criativa neah?!

    Bjss

    ResponderExcluir
  3. Anônimo7.6.08

    Nossa muito lEgal amei
    sempre vou vim visitar seu blog

    ResponderExcluir
  4. Oiee Sou da rapublica


    to adorando a Historia



    bjus Mih Paola =]~

    ResponderExcluir
  5. oiee
    sou da republica
    ta muito legal a historia..
    bj

    ResponderExcluir
  6. oie sou da republica adorei sua história bjus!

    ResponderExcluir
  7. Tainá22.6.08

    Oiee**-

    SoU da república....

    Estou adorandoo a história..

    =]

    BjO*-

    ResponderExcluir
  8. Oii. soou dah capriicho 8D
    tô adoraando *-*
    beeeijos *:

    ResponderExcluir