7.5.10

Adeus.



Ela entrou no bar com seus longos cabelos ruivos, encaracolados, batendo os saltos,  pouco tempo depois da confissão. Como sempre, estava bem vestida, enfiada em seu sobretudo escuro contrastante com a pele clara e o cabelo alaranjado cuidadosamente desalinhado. As mãos, antes trêmulas, agora estavam cerradas em determinação. Ela não precisava se preocupar com o que quer que fosse, afinal, tornara-se frequentadora assídua do bar que até considerava com carinho. Enquanto internamente seu coração se corroía e remoía, ele, se sentava confortavelmente.
- Então, mesmo depois de eu ter sido sincera, ter estado ao seu lado não valeu nada. - A dúvida de antes se tornara uma certeza. - Eu entendo que condene minha insegurança. Eu aprendi minha lição.
O rapaz, uma figura também elegantíssima a seu modo usava um jeans surrado. Apenas se afastou um pouco da mesa do jogo e ficou em silêncio. Desviava o olhar enquanto se ocupava com algumas cartas de um baralho. 
- Você se cansou, não é? Eu me tornei um estorvo no momento em que confessei. Você sabe - quando eu disse que me importava de verdade com você.
- Ninguém tem culpa. - ele murmurou indolente
- Talvez eu tenha.
- Ah, não. Não é como se você tivesse culpa. Você me conhece, baby. Eu não posso me prender. E também tem a coisa toda do jogo, eu não consigo parar...
- De todos os seus defeitos, o pior.
Novamente, ele encarava as cartas em sua mão.
- Você sabe que eu podia usar alguém, tentar te fazer ficar. Mas não. Talvez aprenda sozinho. Agora, é adeus e boa sorte, "baby". Sem arrependimentos. Estamos nos libertando.
A determinação em sua voz, era maior agora. Não tinha mentido sobre aprender a lição. Por isso não ia chorar ou se perder por aí. Era jovem, tinha uma jornada longa pela frente. Se o rapaz se lembrasse dela algum dia, talvez se encontrassem. Arrumava o sobretudo e saía do salão novamente. Começaria se ocupando com uma xícara de café bem forte, quente, do lugar mais próximo que encontrasse. Era tudo o que eu precisava, ela pensou.

16 comentários:

  1. ooi, adorei o blog *--*
    são lindos os seus textos :D

    ResponderExcluir
  2. Haa amo o blog
    vc capricha nos textos ne?

    http://tudodmenina.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. haa tem selinh0 no blogs pra vc ta?
    pega lá

    ResponderExcluir
  4. belíssimo conto! adorei aqui e to seguindo, beijos :*

    ResponderExcluir
  5. "A determinação em sua voz, era maior agora."
    muito bom MESMO =)

    ResponderExcluir
  6. Nossa LOVE YOU'RE BLOG!
    Kiss

    ResponderExcluir
  7. nossa, adoramos o seu blog e ja estamos seguindo *-* tem como dar uma passada no nosso? e seguir se puder? estamos começando e gostariamos de saber da opinião de vocês.

    ResponderExcluir
  8. Oiii Muito obrigada pela sua visita! Eu adorei o seu blog. Muito lindo... o layout e os textos... as imagens... Muito criativo e interessante. Parabéns! Bjooo Espero que volte sempre no meu cantinho. Também passarei por aqui (já estou te seguindo! ;) bye!

    ResponderExcluir
  9. Adorei o texto..você que cria neah?. São ótimos!

    Beijo

    http://chanelfke.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. brigaadaa, seeu blooog é mt lindoo :)
    beeijoos, e volte sempree.

    ResponderExcluir
  11. aaaaaaaaaaaaaaa gostei baby :9

    ResponderExcluir
  12. Oi amor, obrigada por visitar o "queria ser escritora"...

    Adorei sua idéia de fazer um conto, vou fazer isso mesmo! Na verdade, Soe( a garota da história), é uma menina com poderes sobrenaturais, que foi criada numa família de vampiros. Ela pensa que também é uma vampira, mas não é. E ela se separa de Ed, por causa da sua família, com medo de perde-lo!

    Beijos, volte sempre !!
    www.queriaserescritora.blogspot.com
    www.tudocomcaprichoo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. " ...talvez se encontrassem..."
    sempre fica a idéia de que amanhã talvez seja melhor, estejam mais maduros.
    Já dei adeus uma vez. Ser seca e fria é fácil na hora quando se tem determinações em seus motivos; mas quando a cabeça esfria, o coração pesa, e deixa no lugar da razão, apenas a saudade...

    ResponderExcluir
  14. Adorei o conto, retrata muito bem o que acontece na vida real. Algumas pessoas tem medo de se prender e assim, ferem os sentimentos da pessoa que estava ao seu lado. É complicado porém, é só com a dor que realmente podemos aprender algo. Se no futuro ambos se encontrarem, talvez ela nem queira saber mais dele, pois enquanto ela amadureceu com esse término, ele ficou curtindo sua liberdade sem saber de nada, e então ela tornou-se mais madura e interessante.
    Obrigada por comentar no meu blog e me desculpe a demora para vir aqui no teu e aliás, adorei teu cantinho.

    ResponderExcluir
  15. O que é mágico para você? >>> tem um selinho te esperando lá no blog. Bjo!

    ResponderExcluir