22.5.11

Perdoar

Acordei. Uma forte dor de cabeça estava me incomodando logo pela madrugada. Olho no relógio: 02h02 da manhã. E eu havia entendido porque eu estava acordada. Uma insônia que me incomodava muito. Dessa vez, olho para o teto; uma lágrima escorre direto para o travesseiro. Respirei profundamente, me estiquei e levantei. Liguei a luz, fechei meus olhos, mordendo os lábios. Acabei os abrindo e, nada havia mudado. Levantei, meus pensamentos se encheram de confusões e aquilo havia me deixado mal: meu coração estava dolorido, em vários pedaços que se espalharam por aí.
Fui até a cozinha, fiz um bom chocolate quente, peguei meu livro, coloquei minhas meias e deitei-me no sofá. Senti um forte calafrio; saí correndo - provavelmente escorregando - e peguei meus cobertores. Voltei a me deitar. Senti uma louca vontade de chorar e mordi os lábios outra vez. Respirei, dessa vez, bem fundo, mas tão profundamente que acabei perdendo um pouco o fôlego. Soltei todo o ar e voltei ao normal. Abri meu livro e tomei um gole de chocolate. Comecei a pensar na vida e em tudo mais o que acontecia. 
Dali a pouco, meu celular começa a tocar loucamente Rope do Foo Fighters. Olhei de rabo de olho, arregalando os olhos na mesma hora. Adivinha: era justamente a pessoa que eu menos queria ver na minha frente: Daniel. Ele tinha enviado uma mensagem.
Rapidamente peguei o celular e li a mensagem simples, com poucas palavras, dizendo:
Dafine, sei que você está chateada comigo, mas será que eu poderia falar com você? - Daniel
Li e reli um monte de vezes. Na mesma hora, respondi: Daniel. Estou chateada sim, mas já que você quer, está bem, eu falo. - Dafine. 
Tomei o resto do chocolate, tirei minhas meias e fui me arrumar. Fui ao um encontro de quem eu não queria ver. Fiquei parada de frente para um parque. Quando menos esperava, ele estava ali, e veio falando:
- Dafine, me desculpe por tudo. Sei que posso ter dito coisas que não te animaram; sei que posso ter sido grosso quando você apenas queria saber de algo; sei que você agora deve me detestar, mas saiba que isso está me matando aos poucos.
Fiquei calada naquele momento. Tudo aquilo não passava de uma bela verdade. Eu o deixei continuar:
- Não fique com raiva de mim. E agora, pode falar o que quiser.
- Daniel, eu sei que você está errado. Que você pode ter me magoado, ter dito coisas que me deixaram mal, mas percebo que você está arrependido. Pensei no que me falou. E te peço desculpas.
Eu o abracei. Mesmo estando com raiva dele, sei que ele estava pensando em mim. E aprendi que na vida, temos que saber perdoar as pessoas.




4 comentários:

  1. Own muito lindo o texto!

    =)

    O perdão é essencial para se viver bem em sociedade, pois sempre haverá discordancia e brigas, mas se soubermos perdoar, aí sim seremos felizes ao lado de quem amamos.

    beijos!

    ................................
    www.livroseatitudes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Responde o meme "Esse blog é um charme" ... indiquei seu blog *-*

    http://pensamentosdegarotasincomuns.blogspot.com/2011/05/esse-blog-e-um-charme.html

    ResponderExcluir
  3. aawn que texto fofo, tu que escreveu?
    me lembrou MUITO fanfic!

    Beijos, Kamila.

    http://vicio-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oii flor, tem selinho pra você la no blog.
    (http://little-things-for-you.blogspot.com/2011/05/selinho-de-n13.html)

    Beeijos
    Jaine - Little Things

    ResponderExcluir