26.8.11

When the sun goes down...

Deitada em minha cama, olho para a janela e vejo o céu estrelado, bastante escurecido. Levanto-me e começo a procurar no céu, minha amiga, aquela que me ouve e aparece em todas as noites, não importa se está cheia, minguante, com isso, eu realmente não me importo. O que mais me importa é que eu converse com ela.
Coloco minha cabeça para fora da janela e, com a mesma levantada começo a procurá-la. Em poucos minutos, lá está ela: parada, grande e bem branca, bastante parecida com um queijo. Não era nada mais e nada menos do que a lua. 
Olho fixamente para a mesma e, começo a desabafar:
- Outra vez, tu vieste ao meu encontro! Como é bom saber que você pode me ouvir quando eu preciso... - e comecei a dizer - ...sabe, eu ainda não sei se é realmente isso que estou sentindo mas, estou começando a me apaixonar pelo... - e falei cochichando - ...meu vizinho chamado Noel. Ah, como é tão encantador...
Resolvi fechar meus olhos. Abria-os de vez em quando mas, a lua permanecia ali, no mesmo lugar. Tudo estava indo bem, até eu começar a ouvir passos, vindos de meu quarto. Fingi que não estava ouvindo nada. Meu coração acelerara na hora em que uma mão apoiou-se em meu ombro. Abri os olhos e, rapidamente, virei-me para trás: era ele, meu vizinho, Noel.
- Pandora, está tudo bem com você? - perguntou-me, preocupado.
- Ah, hm... é que... es-está sim, e-eu estou bem! - quando eu percebi, já havia gaguejado.
- É que ouvi você falando... achei que havia até me chamado... espere aí... com quem você estava conversando?
Naquele momento, meu coração batia tão rápido e forte que, conseguia ouvi-lô. Será que Noel ouvi o que eu havia falado sobre ele? Eu esperava que não...
- Eu? Eu estava falando comigo... mas o que você ouviu? - ah, droga, por que eu fui perguntar isso?
- Meu nome e que sou encantador. É verdade que você me acha assim? - e começou a se aproximar...
- ... É, é sim! Ah, m-mas vo-você já sabia disso, não é mesmo?
- Já ouvi tantos elogios que não consigo mais contar, Pandora. Preciso confessar que foi assim que comecei a me apaixonar por você.
Engoli em seco e pensei que estava em mais de um dos meus loucos sonhos. Mas não. Aquilo era a mais pura realidade. Respirei fundo e, respondi:
- Eu também estou apaixonada por você.
E acabamos nos abraçando. Foi um dos abraços mais sinceros que eu já havia recebido.
Logo em seguida, olhou em meus olhos e, disse:
- Mas eu já sabia disso. - e em seguida começamos a rir.
- Bom, é melhor eu ir dormir, já está ficando tarde. E, é melhor também que você volte para casa. 
- Está bem, está bem. Então... boa noite.
- Boa noite. Ei, espere aí! Como conseguiu entrar em meu quarto?
- É segredo... até amanhã!
- Até!
Virei-me para a janela e a lua continuava ali. Dei um sorriso e disse:
- Você viu tudo isso? Parece mais um sonho... bom, é melhor eu descansar. Boa noite, lua. E apareça amanhã à noite. Não marque nenhum compromisso, está bem?
Fechei a janela, deitei-me e, dormi, até esperar a noite seguinte.

 

2 comentários:

  1. Que história fofa, adoreei *-*

    Qual a tradução do título? ;x

    Bjoos;*
    Naty - Just Books !

    ResponderExcluir
  2. Vejo que essa leveza é característica de seus textos, todos muito encantadores e fofos!
    Adorei!

    Beijos!

    Mariana Sampaio
    Blog Tijolinhos de Papel

    ResponderExcluir