3.4.12

Amor em preto, branco e all star

Gostaria de saber em que momento exato da minha vida eu a conheci. Saber qual roupa ela usava, qual o cheiro do seu perfume, a velocidade do seu andar... Prender-me a cada mínimo detalhe da lembraça que seria a melhor da minha vida. Mas essa lembrança não existe. Porque eu jamais a conheci realmente, apesar de ela ter explorado e conquistado cada fragmento do meu poereinto e confuso coração.
De todas as lembranças que ela não conseguiu me roubar, há um detalhe latente em minha agora falha memória. Seu All Star estava sempre com ela, como um amigo inseparável. Não eram apenas itens de uma coleção (uma GRANDE coleção, diga-se de passagem), mais a melhor e mais companheira família que ela tinha.
Minha querida solitária era orfã desde que se lembrava. Seus pais eram tão extremamente ausentes, que não os considerava vivos. "Para estar vivo, é preciso ser feliz. Uma vida de infelicidade não é uma vida, mas uma sobrevida." E por isso, ela se considerava tão sozinha quanto se pode sentir tendo pais fantasmas.
    Em nossos encontros na praça perto da minha casa, apesar de tímida, ela sempre me pareceu uma pessoa que atraìa atenção para si com facilidade. Eu sequer conseguia tirar os olhos de seus verdes olhos e rosada boca; Ela falava tão segura, ainda que nervosa, que seus pequenos detalhes me conquistaram em uma velocidade devastadora.
Nos víamos às tardes, após a sua aula. Sentávamo-nos em uma mesa específica protegida pela sombra de uma árvore enorme. Nessa mesa específica, vi-a pela primeira vez, e a apelidei de Garota All. Anos depois, eu tive certeza que ela seria minha Garota All. "Você é meu tudo. Minha All."- disse eu certa vez. "Não posso ser o tudo de alguém, se sequer sou algo para mim."-ela resmungou."Você se engana bem aí querida, porque me orgulho de te amar, mesmo que você mesma não o faça." Nesse momento, ela me quis como nunca havia querido ninguém. Como alguém que penetra na sua intimidade, mesmo que superficialmente.
Passamos pelo que todo casal passa: brigas, primeiras experiências e dias de tédio. Mas em nosso décimo ano, encontrei o momento certo para lhe fazer a proposta mais marcante de nossas vidas. Ela estranhou o tamanho da caixa, mas emocionou-se ao ver o par de All Stars que trazia bordado em suas laterais as palavras "Casa Comigo, Meu All ?" e dentro do mesmo uma caixinha preta contendo um delicado anel, que juntaria-se aos tênis como sua companheira inseparável.
Nosso amor foi pintado de preto, branco e All Star. E durou a eternidade suficiente para nos bastar.Mas quando ela adquiriu AIDS, não parecia um fim exato para um amor irracional. "Uma noite com você, e tudo está resolvido.Somos um só.Se você está doente, então adoecerei também.", mas ela me impediu: "Você tem que estar forte para cuidar de mim". "Mas foi assim que aprendi a te amar, vivendo a sua e a minha vida simultaneamente." Ela calou. Sabia que esse era meu jeito de a amar e lutar contra o medo de perdê-la.
  Inacreditavelmente, aquela foi a melhor noite da minha vida. O sexo mais prazeroso, o desejo mais intenso. O sentir de delinear o meu futuro tocante ao dela. Há quem diga que eu fosse louco e doentio por essa obsessão que chamo de amor. Mas loucura é viver sem a mulher da minha vida, e sobreviver a uma doença da qual ainda hoje peço aos céus que me leve de volta ao meu All .

8 comentários:

  1. Muito legal!
    Selene Blanchard
    Blanc – ModaeEu.blogspot.com – TEM PROGROÇÃO COM BlackBerry

    Espero sua visita!

    ResponderExcluir
  2. Nossa que texto mais lindo! Bem detalhista,romântico *---*
    http://desconstruindoaspalavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Aiin, que texto mais lindo! Pedir a garota em casamento pelo all star, meu Deus, que coisa mais fofa *-* Eu nem pensava, aceitava na hora rs'

    Apesar de ser um texto lindo, também é triste, mas muito bem escrito, adorei!

    Bj;*
    Naty.

    ResponderExcluir
  4. Hey!
    Primeira vez que venho aqui... (:
    Que lindo esse post! Amei! *-*
    Você escreve super bem!
    Adorei seu blog. Já estou seguindo.
    Passa lá no meu?
    http://penny-lane-blog.blogspot.com.br/
    E, se gostar, segue?
    Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Muito bom o post. O texto ficou demais, seriamente. Meus parabéns. Beijos e, sucesso ;D

    ResponderExcluir
  6. A 1ª vez que li um post aqui, Mallú. Conheci por meio da Monique e da promoção show de bola que vocês estão promovendo. Que post fofo. ALL STAR! "Estranho é gostar tanto do seu all star azul, estranho é pensar que o bairro das Laranjeiras, satisfeito sorri...". Que tocante. Quando penso que o amor é a coisa mais egoísta do mundo você me dá um tapa desses... Há exceções em tudo nessa vida. Boa Páscoa :)

    http://gabipuppe.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Muito bom o texto, nossa, muito lindo mesmo. Está de parabéns e espero que continue assim!

    ResponderExcluir
  8. Cara, que lindo essa história, está de parabéns e espero que continue assim.

    ResponderExcluir